quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Sobre Teorias do Turismo e as Minhas Férias

Quando estudei Turismo, eu tinha uma matéria chamada Teoria Geral do Turismo. Como em qualquer outro curso há matérias com teorias sobre determinado campo de estudo, por exemplo: Teorias da Administração, do Marketing, da Contabilidade, da Informática, entre outros.

Voltando ao que interessa, nesta disciplina eu aprendi a teoria do tempo livre. Após a Revolução Industrial, o conceito tempo livre ganhou espaço devido as reinvidicações da classe trabalhista que lutava por um período de descanso. A partir dessa conquista, o tempo livre, o turismo e o lazer ficaram intrinsicamente ligados. A economia iniciou uma fase de crescimento, o poder aquisitivo dos trabalhadores também aumentou e estes fatos aliados ao ócio = tempo livre incentivaram a indústria das viagens. Apesar de ser uma área de estudo nova, o Turismo tem conquistado espaço no meio acadêmico. Uma opinião comum entre os estudiosos é que o Turismo é a grande indústria sem chaminés que tem o potencial de desenvolver economias mundo afora. Porém, políticas públicas de desenvolvimento da atividade turística, principalmente aqui no Brasil, são pífias. Com a oferta de atrativos naturais que o país possui, seria o bastante para ser a 1ª do ranking de destinos turísticos no mundo.

Casos como o que ocorreu essa semana no Aeroporto de Salvador, onde alemães acharam que no Brasil era normal ficar pelado, só demonstram o quanto o Brasil tem que caminhar para se desenvolver como um destino turístico de qualidade. A imagem é uma das principais ferramentas de publicidade do país. O passado publicitário do Brasil no exterior não é nada qualificado: mulheres, bundas, carnaval e sexo. Há um grande trabalho a ser desenvolvido para desmistificar essa imagem. Enquanto o Governo não entender e trabalhar no sentido do pleno desenvolvimento turístico sustentável, não há como esperar muito da indústria, a não ser acidentes aéreos, penes, caos nos aeroportos e devastação dos atrativos turísticos naturais.

Bom, eu falei de Turismo por causa das minhas férias. Por causa da minha profissão. Vou ser sincera: me arrependo de ter investido neste curso. Foi muito fraco. É egoísmo da minha parte, claro que é. Eu poderia ser uma professora e ajudar na formação de novos profissionais competentes da área, mas a minha incredulidade é muito maior. Talvez, se eu perceber que há um Governo realmente compromissado a mudar o panorama atual, eu possa me animar. Por enquanto, não!

Pois então. Eu aproveitei muito bem meus dias de ócio...rs. Vou dividir com vocês os momentos bons que tive e lhes fazer algumas recomendações sobre os lugares. Gostaria de comentar também que o Júnior tornou estas férias mil vezes mais especiais, por que ele, o meu companheiro fiel e leal esteve comigo todos os dias e concordou comigo em levarmos nossas mamães para passear também! :) E como foi bom ve-las felizes e sorridentes. Não há preço que pague por isso!

Vamos ao roteiro:
17 A 25 DE JANEIRO DE 2009

17/01 – Dia do não fazer nada: Ô delícia...rs. Assisti um filme que nem me lembro o nome (era Sky), mas isso pouco importa. Valeu mesmo a companhia do meu amor!

18/01 – Feira de Artesanato em Embú das Artes: Gente! Visitem! É muito lindo!!! Eu tive vontade de levar tudo para a minha futura casa. Tem muitos artigos de madeira, porcelana, pedras e flores para decoração. E melhor: super baratinho. E as bolsas? Todas feitas à mão e com um preço bem salgado, por sinal. Eu amei os brinquedos educacionais para as crianças. Os fantoches, o teatro, todos feitos de tecido. Coisa linda! Pedro e Júlia (um dia) vão adorar! Rs
Sobre o caminho... bom, acessamos a Regis Bittencourt na região de Taboão da Serra. Depois é só seguir em frente. Há a primeira entrada para a cidade de Embu. Porém, recomendo entrar pelo Retorno, pois depois é só seguir em frente e já estará no Centro da cidade. Horário: vá cedo. Às 11hs já está cheio e é difícil encontrar vagas para estacionar.



19/01 – Tarde dos Games: Eu adoro jogar video-game. Pode ser coisa de menino, mas a verdade é que eu sempre gostei. Super Mario, Crash, Sonic estão entre os meus favoritos. Mas o futebol...rs, tomei um peteleco do Júnior. Prefiro não comentar o placar.

20/01 – Aquário de Santos: Era uma expectativa. Serra do Mar, o próprio mar... e que decepção. Pedágio de R$17,00 para uma rodovia como a Anchieta? Cheia de desníveis, esburacada, caminhões... um horror! Porém, é o caminho mais fácil de chegar à Santos. A cidade, me perdoem os santistas, mas não é nada bonita, pelo menos ali na região do Porto e Ponta da Praia. Fiquei inconformada com a falta de sinalização dos destinos turísticos (já comentado aqui no blog), além da sujeira e desorganização. Esperava muito mais do Aquário. O que vale a pena ver são os pinguins! Como eles são lindos e fofos! (Sou suspeita para falar). A tartaruga marinha também é impressionante! Enorme!
Almoçamos no Restaurante Estuário (uma facada tripla! Rs). É muito caro! Porém, a comida é divina! Valeu cada centavo gasto!


21/01 – Parada para um cineminha. Bolt – O Super Cão é demais! Uma produção criativa da Walt Disney Pictures. Cativa as crianças, e acredito, muito mais os adultos...rs. Eu e o Júnior no meio da criançada e dos pais foi o máximo. Faz parte do estágio, hehehe.

22/01 – Museu do Ipiranga e Museu do Futebol: Realizei um sonho. Conheci os jardins e o museu do Ipiranga (ja comentado aqui no blog). É um excelente passeio para ir bem cedo e aproveitar ao máximo. Se for alérgico como eu, previna-se. No dia seguinte eu estava me acabando de espirrar por causa do mofo...rs.
Quanto ao Museu do Futebol para quem é fanático, vai amar! Até eu que não entendo muito bem desta modalidade esportiva, achei um super passeio! Eu ri mesmo do Pelé em seu vídeo de boas vindas em Inglês, Espanhol e Português, rsss.


23/01 – Hopi Hari: Hopi Hari, Hopi Hari, Hooooo!!! Quem já foi, não esquece essa musiquinha...rs. Que delíciaaaaa! A Super Flá e o Super Jú foram na Torre Eiffel...rs. Uauuu! Ver aquele parque todo no privilégio de estar a 67m do chão é indescritível. Mais ainda é não ter noção de quanto tempo se leva para descer tudo isso. Talvez 6 segundos...rs. deu para imaginar? O parque é maravilhoso. Muito organizado, limpo, boas opções de lanche, doces e bebidas (apesar de caro). É lindissímo! Fomos pela Rodovia dos Bandeirantes, muito bem sinalizada. Pedágio de R$ 5,90 na ida e na volta. Um tapete. Eu a minha mãe viramos crianças... o Jú e a D. Ana Maria só observaram. Adorei!




24/01 – Jantar romântico: 8 meses de namoro! Não parece que foi ontem? Passa muito rápido! O Júnior me levou na Cantina L’Italiano no Bexiga. Pedimos um nhoque recheado de presunto e queijo ma-ra-vi-lho-so! Nunca comi uma massa como aquela! O ambiente é super gostoso. O dono é Corinthiano (claro, tinha ser...rs) e se inspirou no futebol para decorar o local. O romantismo é aguçado com as músicas italianas tocadas ao vivo por um rapaz muito simpático.

25/01 – Visita a casa da Tia Adelia: E o Eduardinho está cada dia mais lindo e fofo! Com aqueles olhos azuis e o sorriso mais guti guti do mundo ele já conquistou os nossos corações. Esse vai dar trabalho! Rsrs


É pessoal, eu sei que exagerei, mas cumpri com o meu propósito! Finalmente! Rsrs

*Para ver mais fotos e vídeos, acesse o meu orkut.

Beijos! :)

4 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Flávia,
Que bom que aproveitou bem suas férias. Conheço alguns dos lugares citados. Muito legal!

Essa música Come Undone é uma das minhas favoritas. Muito bom ouvir Duran Duran.

Beijos!
Alcides

Janaína Moraes disse...

Nó, e eu que achei que as minhas férias tinham sido divertidas..
Fiquei em casa e viajei por todos os cantos que as histórias dos livros que lí me levaram.

Outras Estórias.

http://aindamaisestorias.blogspot.com/

Passem lá.

Bruno R.Ramos disse...

Um roteiro bem completo. Valeu!

Kêco disse...

Belas férias!! quero muito conhecer o museu do futebol.é do lado de casa, sou fanático por qq jogo, e ainda não fui, acredita?
Ah, um post do Pearl Jam pode estar próximo....

T+!!!!