quinta-feira, 31 de julho de 2008

A polenta



A polenta da minha avó
Tinha gosto de ternura
Que se misturava com a pimenta do reino

Havia um contexto, um ritual
Para ser preparada
A família precisava reunir-se aos domingos

A água era fervida com um tablete de caldo de carne
Eram necessários 3 pacotes de milharina
E uma dose generosa de amor

Pra cozinhar a milharina
Tinha que mexer o mistura com uma colher de pau
E muita força para dar liga na massa

O molho de tomate era caseiro
E tinha muita carne moída
O cheiro dava pra sentir lá do pasto...

E quando aquela forma enorme era posta na mesa
Todos ficavam ansiosos
Para que a Vó Olívia começasse a distribuir os pedaços...

Justa, honesta, correta e naquela paz de sempre
Ela distribuía os pratos em torno da mesa
E dizia: “Come...é pra comê, heim?”

O amor da Vó era o principal tempero da melhor polenta que eu já provei!

Vó Olívia, saudaaaades!

4 comentários:

Vinícius Aguiar disse...

Que bonitinho Flavinha...
hehehehehehe
adorei!!
apesar de não ser muito fã de polenta, acredito que a da sua vovó seja mesmo a melhor de todas!
beijos linda!

Kêco disse...

Pô...falou em comida,almoço de domingo,Avó,Família...que mais precisa?
acho que vou ligar pra minha Mãe e pedir pra ela fazer gnocci esse domingo...hmmm....

Bom fds ! e bom almoço de domingo.

ah,depois lê o post do Mike Patton e o dos Cavalera q eu postei?
bjo

Alcides disse...

As avós ou vós são maravilhosas. Fazendo comida para os netos então, nem se fala!

Beijos!
Alcides

Leandro Budugo disse...

Vc com a saudade da vó...

e eu...

Com saudade de vc ¬¬"

Poxa Lótus, a primeira semana na facu tá uóh! (gostou da nova grafia: UóH!, registrada da BdG's Corp. Inc.- shadksuhdaksaduhk)

Sério, só vc mesmo, começando assim faltando...
Polenta? Num gosto ¬¬

Beijokasasasas... =]

L.