terça-feira, 1 de julho de 2008

Pais e Filhos


Pais E Filhos
Legião Urbana
Composição: Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá

Estátuas e cofres
E paredes pintadas
Ninguém sabe
O que aconteceu...
Ela se jogou da janela
Do quinto andar
Nada é fácil de entender...
Dorme agora
É só o vento
Lá fora...
Quero colo!
Vou fugir de casa
Posso dormir aqui
Com vocês
Estou com medo
Tive um pesadelo
Só vou voltar
Depois das três...
Meu filho vai ter
Nome de santo
Quero o nome
Mais bonito...
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Por que se você parar
Prá pensar
Na verdade não há...
Diz, por que que o céu é azul
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim...
Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua
Não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar...
Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Por que se você parar
Prá pensar
Na verdade não há...
Sou uma gota d'água
Sou um grão de areia
Você me diz que seus pais
Não entendem
Mas você não entende seus pais...
Você culpa seus pais por tudo
Isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer?
Existe relação mais bonita que entre pais e filhos? É a melhor expressão do amor verdadeiro e completo. Bem-quere, zêlo, preocupação, companheirismo... vontade de ensinar e aprender. Uma eterna troca de experiências e amadurecimento para ambos.

A gravidez, o parto, as primeiras palavras, o engatinhar, o andar são processos prazerosos para qualquer pai e mãe. Com as coisas boas, também vêm as coisas ruíns como a proteção excessiva, a preocupação exagerada que de certa forma colocam a criança em uma bolha isolada do mundo e das pessoas.

Deve haver um limite. Uns dizem que filhos não são dos pais, mas do mundo. Pais zelosos jamais criarão seus filhos pro mundo e é aí que mora o perigo. Devido a super proteção as crianças podem crescer isoladas e sem a mínima noção de convivência em sociedade. Alienada e dependente emocionalmente. Encontrar o euqílibrio é um verdadeiro desafio para as famílias. Tanto para os pais quanto para os filhos é uma tarefa árdua que deve ser praticada diariamente. Há um exercício essencial chamado DIÁLOGO. Esse abre portas para um relacionamento saudável e de plena confiança.

Imagino que deve ser difícil aceitar que um filho cresceu. Fechar os olhos e lembrar daquele ser tão pequenino e frágil e em seguida, abrir os olhos e enxergar um adulto, formado, com opinião e dono do próprio nariz!

E aí que eu acredito no exercício diário do diálogo que deve ser feito desde o início. Criar vínculo de amizade, confiança e respeito abre portas e permite tranquilidade para ambos. Assim, é possível saber até por um olhar o que um precisa.

O problemas das drogas, do alcoolismo e criminalidade entre os jovens, principalmente, são decorrentes da falta de estrutura familiar, da confiança, respeito e conversa entre pais e filhos.

O diálogo é uma ótima ferramenta de conhecimento entre pais e filhos. É a chave do sucesso de um relacionamento saudável e prazeroso. De aprendizado e de amadurecimento.

Acrescento um pouco mais... acima de qualquer coisa, o amor é o agente transformador. Ele pode TUDO!!!

O amor transforma...

Beijos, cuidem-se!

4 comentários:

Vinícius Aguiar disse...

Pois é Flavinha... o diálogo é sempre fator fundamental em qualquer relação, e entre pais e filhos, em especial. É preciso muito amor mútuo e muita conversa para encontrar esse tal equilíbrio entre a vontade de cuidar e a necessidade de deixar ir. Bela reflexão, parabéns!
beijos!

Leandro Budugo disse...

MILAGRE!
DEPOIS DA "LUA DE MEL", UM POST!
RS

CONCORDO EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU LOTUS

BEIJOOO NO CUORE E SAUDADES 1000!

L.

Bruna disse...

Quero novas postagens!!!!! rs
bjokas

Cris disse...

"O amor transforma" - Frase de efeito! Pode tudo mesmo!
Santo Agostinho disse: " Ame e faça o que quiseres". O amor é a plenitude das coisas mesmo! E sim, ele transforma. É lindo!...
Amor dos pais - incondicional! Como compreender isso?? rs

mto boa a reflexão!
Bjinhos