segunda-feira, 19 de maio de 2008

Vitória

Era uma garota tímida e recatada. Tinha um sorriso acanhado e falava pouco. Seus cabelos eram anelados, louros que à luz do sol brilhavam como ouro. Dedicada e aplicada aos estudos, sentava-se sempre nas primeiras cadeiras e cumpria todas as obrigações escolares. Sua mãe tinha orgulho de ir as reuniões de pais e mestres. Ela sempre recebia elogios.

A escolha pelos estudos lhe rendeu apelidos e a afastou da turma mais descolada da escola. Sofria por isso, mas mantinha-se firme em seus propósitos. Sabia que era o certo. Tinha orgulho de tirar boas notas, de acertar um exercício na lousa e servir como exemplo aos outros, mesmo que por esse motivo ganhava o desprezo de todos. No fundo ela sabia que era o melhor caminho.

E a história foi assim. Do ensino fundamental ao colegial. Era uma garota de poucos amigos. Mas, os poucos que tinha eram muito bons. Compartilhavam das mesmas idéias e objetivos. Eles sonhavam com um futuro promissor. Ter uma profissão. Trabalhar. Crescer.

Quando criança, ela trocava as brincadeiras pelos cadernos. E quando adolescente, trocou os namoricos, pelos livros. De novo, vieram os apelidos. O isolamento, as piadinhas. E ela manteve-se firme. Não abriu mão de seus sonhos e desejos. Ela queria ir longe.

Suas colegas engravidaram quando ela entrou na universidade. Quando mais uma colega ganhou um bebê, ela ganhou um diploma.

Hoje, continua estudando e teve o prazer de ganhar dos pais o primeiro símbolo de compromisso que ela fez para si: o anel de formatura. O objeto que representa a luta, a determinação e a garra para atingir um objetivo.

A garota da história sou eu. Este fim de semana foi importante pra mim. Conquistei um dos meus objetivos. E sinto orgulho por ter mantido minha postura, por ter acreditado, por ter ido em frente.

Então, sempre digo: não vale a pena desistir de nada para ser aceito, para contornar situações. Se você acredita em um sonho, vá em frente. Lute. Seja firme. Aparecerão pessoas no caminho prontas e ávidas para te derrubar. Mas, também pessoas que te levantarão e te darão força para continuar.

Um beijo feliz! : )

3 comentários:

Vinícius Aguiar disse...

Desde o início da história dava pra perceber que era uma espécie de auto-biografia. Concordo com você, acho que o sucesso e os sonhos de uma pessoa devem estar em primeiro lugar, e se isso representa a sua real felicidade, que seja assim!

Beijos!

Bruna Souza disse...

Post auto biografia!!! ameiiii
realmente flor, eu era exatamente assim!!!
gostaria que minha família fosse tão bem estruturada qto a sua e que eles se orgulhassem de mim...
sei que não sou perfeita, e que não era tão aplicada como vc...passei por fases doidinhas, mas nunca descuidei dos estudos, prova disso uma bolsa integral da faculdade rs

Fique mesmo feliz amiga, Deus te presenteou com a responsabilidade e perseverança pra seguir firme em seu caminho, com uma base (família) muito forte pra te ajudar e incentivar.

Te adoro amiga!!! Você merece!

PS: o anel é lindooooo

Alcides disse...

Flávia,

A música do Lulu Santos "Minha Vida" não caberia para você, mas o final acho que é válido(...)"É o que chamam de destino/Eu não vou lutar com isso/Que seja assim enquanto é."

Parabéns pela determinação!

Alcides