terça-feira, 8 de abril de 2008

Dor (in)consciente

A cabeça dói
Há calafrios
A testa encolhe
Formando linhas
Que demonstram dor
Os olhos se fecham
O olhar entristece
A carne fica trêmula
A força vai embora devagar
A unha descola da carne
Os braços doem
O nariz coça
A boca fica seca

O corpo estabiliza

Perde a consciência

E pára

O coração diminui a frequência
O cérebro trava

A esperança desaparece
A força não existe mais
A fé não sustenta

A desilusão toma conta
O desprezo também
A decepção ferroa
E a tristeza põe fim
Nessa história.

Eu não sei escrever poemas respeitando métricas, rimas, nada disso... nem sei se isso que escrevi acima pode ser considerado como tal... joguei o que sinto em linhas...

Talvez seja passageiro, afinal eu sou "De Lua".

Sei que tudo é teste, sei que é amadurecimento, mas dói...

Embora doa, não me entrego. Acomodação realmente não faz parte do meu dicionário de vida... então, avante! Com ou sem dor, lutar sempre!

Beijocas!

4 comentários:

Creezy disse...

por que tanta dor, minha querida?

enfim, fora seus motivos pessoais, consegui sentir a angústia, o drama - não só físico, como psicológico também.
(In)tenso...

acho que tb to de lua!

beijos!

Alcides disse...

"No, woman no cry
(...) Tudo, tudo, tudo vai dar pé."

FORÇA!!!

Alcides

Leandro Budugo disse...

Para a réplica:
"Quando estou só e o choro parece querer chegar.
E o sentimento de temor de como será o amanhã que eu não vejo
e quer me assustar,
Ó meu Deus ajuda-me a avançar

Quando as feridas
do meu coração não querem sarar
E me atrapalaham a visão
Tuas promessas são tão grandes e as lutas querem me esmagar.
Ó meu Deus, em Ti ajuda-me a confiar.

Quando os sonhos se frustram
OU parecem não se realizar
Quando as forças se acabam,
Tudo o que eu sei é Te adorar

Tua presença
Me aquieta a alma e me faz ninar
Como um bebê que não precisa se preocupar
A minha vida escondida em Tuas mãos está
Ó meu Deus, em Ti eu posso descansar...

A Esperança renasce
E a certeza de que perto estás
Tua Paz me invade
Pois tudo o que eu sei é Te adorar...
É te adorar..."
Poema: Ana Paula Valadão Bessa.

Bjs flor do meu Jazigo
^^"
L.

Vinícius Aguiar disse...

Lutar sem forças e sem instrumentos parece ser uma tarefa extremamente complicada, mas assim como vc, acredito muito na força da mente e na nossa imensa força interior, que transcende ao lado físico e atinge nossa alma!
Bjus!