segunda-feira, 10 de março de 2008

Padrões?

Braços cheinhos
Discretas estrias
Nariz de batatinha
Pele branca como leite
Manchas de sol no rosto
Alguns cravos e espinhas
Cutículas que crescem a cada 2 dias
Sombrancelha falhada
Alguns fios de cabelos com pontas duplas
Gordurinhas na barriga
Celulite
Marcas de expressão

Dentes grandes, brancos
Sorriso perfeito
Olhos verdes expressivos
Boca grande
Lábios carnudos
Pernas longas e grossas
Pés delicados
Mãos grandes
Dedos finos e longos
Cabelos compridos
Sedosos e cheirosos
Orelhas pequenas Rosto de pele de pêssego
Unhas fortes e sempre com esmalte
Colo acolhedor

(Auto-descrição)
E quem é perfeito? Basta olhar-se no espelho para começar a encontrar pontos negativos. Mas, se prestar um pouco de atenção, características positivas poderão sobressair as negativas. Observe-se. Não se preocupar com o padrão de beleza imposto pela mídia é o primeiro passo para se livrar do fantasma da busca pelo corpo ideal, rosto de princesa (príncipe).Tudo que é visto nas revistas, na televisão, nos filmes são meras fotografias manipuladas em programas de edições de imagens que iludem pessoas com baixa auto-estima. Ou alguém acredita que a mocinha da novela já nasceu com rímel e batom no rosto? O que há de mais belo no ser humano é o interior, a alma, o caráter. O resto é carcaça. Então, já que ninguém é perfeito, é só cuidar bem da matéria que cobre o interior. Dormir bem e cedo, beber água, sorrir, abraçar, beijar. A felicidade interior tem efeitos no exterior de forma incrível. O brilho no olhar, um sorriso radiante só pode ser mostrado se há amor próprio. Amar-se é o segredo! Cada um de nós possui características únicas e é isso que torna o ser humano fascinante!


Beijos, boa semana pra nós! :)

3 comentários:

thiago disse...

A mídia em geral (e nós mesmos, frequentemente) rotulam a beleza. Na minha visão, beleza sempre foi algo muito particular: cada um tem a sua. E mais do que isso: cada um acha belo aqui que lhe atrai. E como somos por volta de seis bilhões de "belezas" diferentes, há então "belezas e mais belezas" diferentes.
O erro talvez esteja na ânsia da mídia em se rotular, limitar, determinar qual tipo de beleza é "aceitável" ou não. E isso não vem de hoje, é um problema histórico. Quando nos dermos conta de que cada beleza possui sua particularidade, sua exclusividade, seus detalhes e nuances, certamente viveremos a contemplar e a admirar o belo que está em cada um de nós!

Cris disse...

Aceitar-se do jeito que Deus fez! E aceitar as pessoas exatamente como elas são. Isso seria demais! Humanos perfeitos - no sentido de humanidade mesmo. E a aparencia não faz a menor diferença mesmo! Hoje, vindo trabalhar, vi um cara passeando com um cachorro, daqueles bem caros que nem sei a raça, e pensei: será que esse cara, se tiver esse cão bem caro e outro vira-latinha vai amar mais um do que o outro? E isso me fez pensar na essência das pessoas, em como a gente julga pela casca. Refleti sobre o olhar da mãe sobre seus filhos: será que a mãe ama mais o loirinho ou o moreninho? A mãe vê a essência dos seus filhos e suas almas têm valor e individualidade - cada qual com o seu jeitinho. Que lindo, que mágico, que perfeito! Assim deveríamos observas os seres, pela alma - e assim, amá-los.

bjos!

Bruna Souza disse...

Preciso colocar esse texto em frente a parede da minha cama, para sempre que acordar lê-lo e parar de brigar com minha própria imagem...
tentar resgatar a auto-estima elevada que nunca tive é um passo árduo a ser cumprido, mas não impossível.

Mas tratar bem da nossa carcaça também não faz mal a ninguem neh?rs

adorei o texto, de verdade

bjos