segunda-feira, 31 de março de 2008

Ahhh! Que preguiça!

Nossa! Que preguiça! Que vontade de dormir à tarde ouvindo o som da chuva caindo sob o telhado. Comer pipoca e tomar guaraná assistindo uma comédia romântica de tardezinha debaixo do edredom. Ouvir os Cd’s preferidos sem ninguém interromper. Ler um bom livro com os pés pra cima, confortável em uma poltrona grande e macia. Fazer brigadeiro de panela e comer tudo até o fim, sem sentir culpa pelas calorias. Ver fotografias antigas e lembrar dos velhos e bons tempos. Arrumar a bagunça do armário e ver quanta coisa não é necessário mais guardar. E de repente, me deparar com aquela peça que nem eu acredito que tive coragem de usar um dia e logo penso em dar embora, mas: “Isso pode voltar a ser moda. Deixe aqui.” Abrir uma caixinha onde estão bilhetinhos de amor e embalagens de bombons. Encontrar a fotografia de alguém que me feriu, mas mesmo assim, faz com que eu sinta saudade...

Queria um dia assim pra mim...quem não queria? Não temos tempo mais nem de conversar com nossos pais. Muitas vezes, nem os vemos. Isso acontece em casa. Fico uma semana sem ver e falar com meu irmão. E por incrível que pareça, no fim de semana ainda arrumamos motivos para ter uma briguinha, rs (coisas de irmãos que se amam).
Perco quase 4 horas da minha vida para ir e voltar do trabalho e penso todos os dias que durante este tempo poderia estar dormindo mais ou então, praticando algum esporte que ajudaria aliviar o stress.

Enquanto isso não é possível, faço tudo-ao mesmo tempo-agora. Escuto música, leio, trabalho, escrevo, crio, desenho, cozinho, fotografo... e só respiro mesmo no fim do dia. Que vida é essa? Quero morar no interior (rrrrr), num sítio perto do mato, dos cavalos, dos bois, das vacas. Acordar com o galo cantando e ouvindo o canto dos bem-te-vis...


Que sonho!

2 comentários:

Cris disse...

o que eu também mais quero é um dia desses para mim!! vc disse tudo e eu logo me coloquei na situação. Perfeito.
essa vida de interiorrrr tb é meu sonho !
um ponto interessante que vc tocou: sobre ter saudades de quem te feriu. Como é que pode, hein?!

beijos, querida!
have a very nice day
Cri

Flávia Fabri Cesário disse...

Oi Cris! Pois é, sinto saudade dele, sim. Fazer o quê? Foi meu primeiro amor. Este a gente nunca esquece. :)
Beijos!