terça-feira, 4 de março de 2008

Porquice

Todo santo dia eu me deparo com a mesma cena: gente mal-educada jogando lixo pelas janelas dos carros, dos ônibus, das lotações, e pasmem, até do Metro.
Dá vontade de cutucar o mala sem alça e dizer: “Olha lá no chão, você ‘deixou' cair’.”
Falta bom senso pra essa gente aprender que um papel de bala contribui para causar grandes inundações, bueiros entupidos de porcarias que essa gente joga nas ruas.
Já discuti sobre isso no Bee Girl, pois é realmente algo que me incomoda. Que me deixa nos nervos.
Mês passado, estava de pé na lotação (pra variar), quando vejo um casal se entupindo daqueles salgadinhos de isopor (Fofura). A mulher devorava aquilo como uma leoa faminta. Quando não restava mais nenhum vestígio da porcaria gordurosa, ela lambeu os dedos (que nojo) e em seguida, jogou o pacote pela janela! Ai que ódio! Que porquice! E o marido, olhou, não disse nada e ainda abraçou a mal-educada. Não contente, terminou de tomar o suco de laranja e tacou a garrafa pra fora da lotação. Pensei que aquilo tivesse sido o ápice, quando pra terminar com chave de ouro, lá se vai papéis de bombons que eles tinham mandado guela abaixo. Custava ela colocar aquele lixo todo dentro de uma sacolinha de supermercado e jogar no cesto de lixo da casa dela? Pior que já ouvi muitas vezes que jogar lixo na rua é dar emprego para os garis. Ah, tenha santa paciência!
Eu segurava aqueles ferros com tanta força. Queria dar uma lição naqueles dois. Adiantaria? Não! Educação se aprende em casa e vem de berço.
O que muda realmente é a educação que damos às crianças. Sejam elas nossos filhos, nosso primos, sobrinhos, enteados, amigos, enfim. Reeducar adulto é perca de tempo.




Falando em lotação. Como eu odeio, odeio, odeio!!!! Odeio muito mais a Marta Suplicy que as legalizou. As linhas que eram operadas por ônibus foram extintas e substituídas por lotações que: dobraram a quantidade de carros circulando na cidade, ou seja, mais poluição sonora, mais gás carbônico no ar, mais trânsito, menos qualidade de serviço, menos usuários transportados. Lotações lotadas (redundante, mas é isso mesmo), tão lotadas que parecem que vão tombar de tanta gente esprimida dentro dos carros. E o usuário é obrigado a ouvir: “Dá mais um passinho pra trás aí, fazendo favô.”

Ahhh, faz o favor vocês, os governantes que não tem o mínimo de respeito com o cidadão que paga caro pela passagem pra ser pisoteado, amassado e ainda ter que aguentar gente se esfregando um no outro, porque não tem espaço pra se movimentar. Faz o favor, a própria população que nas eleições elegem os mesmos dos mensalões, das corrupções, os mesmos pesos-mortos da política. Abram os olhos! Enxerguem o que está na cara de todo mundo! O pior cego é aquele que não quer ver!
PS: Desculpem pelo desabafo! Beijos :)

2 comentários:

Ivan Santos disse...

Minha querida amiga Flávia,

Difícil, nao é!? Enxergar coisas, que outros, parecem não ver, e quando veêm, não parece que se preocupam.

Tem uma frase do livro mais famoso do mundo que diz assim "...estou acordado e todos dormem..." (claro que você sabe qual livro e quem escreveu) aliás, frase utilizada atualmente em uma música da banda de "Rock" Legião Urbana.

Você disse :"Queria dar uma lição naqueles dois. Adiantaria? Não! Educação se aprende em casa e vem de berço.
O que muda realmente é a educação que damos às crianças. Sejam elas nossos filhos, nosso primos, sobrinhos, enteados, amigos, enfim. Reeducar adulto é perca de tempo."

Por anos essa "população mau-educada", vem sido enganado por dirigentes sem nenhuma noção de ética e responsábilidade. Tem deixado assuntos como Saúde, Bem-Estar, Educação, Ecologia, Infra-estrutura e tantos outros sem nenhuma solução. Triturando acima de tudo seu orgulho por participar de uma sociedade dinâmica e jovem com a brasileira. E por incrível que pareça, os tais dirigentes (com algumas exceçoes), são de classe media alta e com educação acadêmica.

Enquanto as pessoas se aglomeram em uma das maiores metrópolis do mundo, empurrando o custo de vida nas alturas dos arranha-céus desta capital financeira. Elevando também o custo da manutenção de tal magalópolis. Os afortunados que conseguem terminar a faculdade e tem um pouco mais de educação (acadêmica ou não) tem que dividir espaço com menos "socialmente conscientes".

Discordo da frase "Reeducar adulto é perca de tempo...". Embora seja muito mais difícil reeducá-los sendo já adultos. Não podemos esquecer que esses, por bem ou mal, fazem parte da sociedade.

Agora, como fazé-lo, é um outro problema.

Eu vivo a mais de 10 anos fora do país. Onde há uma impressão de que aqui, pessoas tem mais conciência social (o que é verdade). Porém, aqui também se joga latas para fora do carro, papel no chão. Aqui também tem pixação de muros, vandalismo e problemas como em qualquer parte do mundo. A diferença é que o ativismo para que tal ação não aconteça é enorme, inibindo o transgressor de uma comum convenção. Também há por parte da justiça e agentes de lei (policiais), uma maior fiscalização e punição. Como serviços comunitários.

Infelizmente ou felizmente o assunto é mais complexo do que se pensa em um momento de "descontentamento social".

O mais importante da estória, em minha opnião seria não deixar de falar a respeito.

Acordemos aos que dormem!

Bruna Souza disse...

Depois de tudo o q vc disse e o super comentário do ivan, só tenho uma coisa a dizer:

Perfeito tudo o que vcs disseram, assino em baixo!
;)

bjos