sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Para papai


Meu Herói


Quando nasci
Num dia frio de julho
Ele me olhou no berçário
E ouviu da enfermeira
Que eu era a Miss do hospital
Era época do tão aguardado Miss Brasil
Me carregou no colo
Me balançou no carrinho
Até que eu pegasse no sono
Acariciou meus finos fios de cabelo
Me protegeu contra os perigos
Me embrulhou num cobertor quentinho
E me observou dormindo como um anjo
...
Me levou a escola no primeiro dia de aula
Disse que ia ser legal e que não era preciso ter medo
Comprou os livros que eu pedi
E muitos outros que ele gostaria que eu lesse
Me incentivou ir ao teatro
Ao cinema nem tanto
Porque ele não é muito fã da sétima arte
Me ensinou continhas de matemática
Revisou meus textos, corrigiu meus erros
Me ensinou a escrever
Andou comigo de bicicleta
Ajudou a equilibrar-me sobre os patins
Me deu uma surra de chinelo de couro
Para eu aprender a nunca mais
Brigar com meu irmão
...
Não deixou eu morar sozinha aos 17 anos
Incentivou a faculdade de Turismo
Queria abrir uma consultoria de viagens
Teimosa como ele, fiz com que desistisse da idéia
Me trancou em casa pra eu não sair com o namorado
Roqueiro, baixista de banda de punk/hardcore
Brigou comigo
Gritou, berrou, fechou a cara
Mas, arrependeu-se e trouxe da padaria
Pães de queijo e bolo de chocolate
Se realizou quando soube que queria ser Jornalista
Me ensinou a falar e comportar-me como profissional
Me ensinou ética, respeito, moral
Conversamos sobre política, sociedade, cultura, música
Relacionamentos afetivos, não...
Ciúme enrustido, como diz minha mãe
...
Teimoso, persistente, incansável
Sério...(dizem que herdei isso dele)
Generoso, fechado, temperamental
Um homem especial
Fechado demais pra dizer “Eu te amo”
Nunca ouvi essas palavras da boca dele
Ouvi apenas: “Eu também”
Mas, o amor não é representado por palavras
E sim, por ações, gestos, atitudes
E isso, ele fez, faz e sempre fará muito bem!

Pai, eu te amo!

*Eu sei que ele ficará com os olhos marejados, a voz embargada e dirá olhando pro lado: “Eu também!”

2 comentários:

Leandro Budugo disse...

filha,
seu blog está na parte "sala de visita" no meu blog...

dá uma procuradinha, vai... rsrsrs

L.
=]

Cris disse...

Muito bacana vc ter publicado os " para papai" e "para mamãe"! SÃO LINDOS!! Ainda porque esse sentimento de família, de laços, de união meio que que está fora de pauta hoje em dia, né?! Muito difícil uma leitura nesse sentido. O amor homem-mulher é, de longe, o assunto mais publicado, mais incentivado, mais discutido nas revistas, nos filmes e nos livros. Mas o que é essa riqueza de amor Incondicional de pais para filhos? Ninguém ousa sequer questionar!...parece ser demais para a cabeça humana, não é?!
Nas bases familiares é que nos solidificamos nos nossos afetos. Se está tudo bem em casa, se papai me ama e me pega no colo, muito provavelmente não serei o tipo de mulher que migalhará amor de um homem, pois tenho em mim, no meu lar, o amor de um homem. Não falo de sexo e tesão, tal. Falo dessa parte psicológica da coisa. Falo do motivo de tantas sessões de terapia.
Enfim, espero um dia ler um texto sobre esse amor tão inefável, sublime e virtuosíssimo, que é o amor dos pais para com os filhos.

Bjos querida!!

Ah! já ia esquecendo. Acesse aí http://olhares.aeiou.pt/utilizadores/?chave=Limoeiro. ótima fonte de fotos. bjo!