terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Eu não me misturo...

Ontem, reparei no meu jeito de ser. E acho que sou mal interpretada. Sempre fui reservada, quieta, tímida. Ao lado da minha amiga Bruna, eu me sinto até mal. Admiro a capacidade que ela tem de cativar todo mundo com aquela alegria e simpatia. Já tentei, não nego, ser mais receptiva, mas não consigo. Não adianta. Resolvi me aceitar assim.

Entitulei este post como “Eu não me misturo...” por não ter a iniciativa de fazer amizades, de puxar papo e também de me envolver. Eu demoro para me soltar com pessoas novas. Sempre existiu esse bloqueio. Por esse motivo, tive poucos amigos. Nunca fui baladeira, namoradeira. Até me respeitei quando todas as colegas de classe no colégio me largaram de escanteio por ser chata demais (acho que ainda sou considerada assim... rs). A verdade é que pouco me importa!

Quando conheci o Júnior, disse a ele que eu tinha “muitos” amigos. Ele foi enfático: “Não se engane. Amigos de verdade são só pai, mãe e irmãos.” Na hora até pensei que ele estava sendo drástico demais. Porém, alguns meses depois, eu tive a prova do que ele disse. Mas isso não vem ao caso.

O que é bacana nisso tudo? Saber que eu tenho sim, poucos amigos, mas que gostam de mim como eu verdadeiramente sou. Com as crises de mau humor, impaciencia, nervosismo e ataques de TPM. Me aceitam como sou. Sem esperar nada em troca.

Mudando de assunto...

O tema do PREX (Projeto Experimental) está praticamente definido. Eu e a Bruna conversaremos com a coordenação para acertar os últimos detalhes sobre a linha de pesquisa.

O tema é polêmico: Cinema Brasileiro na decada de 70. Um panorama da Pornochanchada durante a ditadura militar.

Tema: Como nasceu e se desenvolveu a indústria da pornochanchada no Brasil, e contextualizar esse gênero em sua época. A Ditadura, a repressão e a discriminação que se desenvolveu perante o estilo cinematográfico. Desmistificar o tema, abordando as características reais e a função subjetiva dos temas, das cenas e diálogos. Qual a função da Pornochanchada na sociedade brasileira.
Objetivo: Comprovar através de estudos bibliográficos, cinematográficos, entrevistas e pesquisas in loco que a produção de filmes na década de 70 foi um grito à liberdade de expressão, que mais tarde tornou-se em Diretas Já.

Questão central: Relação entre cultura e política. O cinema, meio de comunicação artístico como canal de manifestações políticas. Reações e mudanças no comportamento da sociedade.
Produto Final: Monografia aliada a um documento fotográfico. (Desde que consigamos autorização de reprodução de imagens dos atores, diretores, produções, locais de gravações).

O Prof. Andre, orientador do PREX gostou muito do tema, principalmente pelo viés político. Acrescentou que é um assunto muito rico e pouco explorado neste contexto.

De início, achei complicado falar de um tema considerado chulo, porém, pesquisando e lendo sobre o assunto temos muito o que desmistificar. Brunitz, mãos à obra!

Caso tenham alguma fonte, publicação nos indique, por favor!

Beijos! :)

3 comentários:

Vinícius Aguiar disse...

O importante é que consigamos nos aceitar dentro de nós mesmos, o restante vem como consequência... beijos Flavinha!

A Palavra Mágica disse...

Flávia,

A gente fala muito do tal do livre arbítrio, livre escolha, do respeito a outras idéias e se esquece que ser pouco sociável ou ser chato mesmo também é uma questão de escolha. Vive a sua vida e deixe quem quiser falar. Quando quiserem viver, já será tarde.

Quanto ao seu trabalho, interessante escolha.

Há muitos e muitos anos atrás... eu tinha uns 12,13 anos, tinha na tv Record um programa chamado Sala Especial. Só pornochanchada! Pra mim era o máximo. se você achar algum site que trate da série referida, pode ser que encontre alguns títulos.

Beijos!
Alcides

Bruna Souza disse...

Fláaa, eu to no seu texto rsrs!! Mas tenho uma coisa pra dizer: apesar de parecer assim sociável, muitas vezes travo, completamente, pq é normal sentirmos simpatia por algumas pessoas na hora que as conhecemos, e com outras, o mesmo não acontece. Além do mais, mesmo tentando ser legal com todos, esse probleminha que vc não quis comentar me atingiu tb...por isso acho que algumas coisas nos saem do controle porque simplismente não podemos comandar as atitudes alheias. Nossa, acho que fui muito confusa nesse texto rs. Mas a verdade é que os verdadeiros amigos vão aparecer e permanecer se assim tiver que ser. Até rimou!!!

PS1: eu adoro a música que abre o blog!!!

PS2: te amooo!