terça-feira, 14 de outubro de 2008

Amigo...

Nestes últimos dias, derrubei muitas lágrimas, perdi o sono, senti meu coração apertar e o estômago doer. Falar e sorrir é raro...

Imaginava... um belo dia, que ficou lá no passado, que tinha MUITOS amigos. E dizia isto com muito orgulho.

Nos momentos bons, alegres, de festa, de fartura, dinheiro e interesse temos tantos amigos que até perdemos as contas... e quando tudo isso vai embora, e a tristeza, necessidade de ajuda, conforto e carinho aparecem... os amigos somem como fumaça.

Amigo é aquele que realmente te dá bronca quando precisa, aquele que fala um monte de coisas certas, mas que você acha um monte de abobrinhas, só por não conseguir enxergar um palmo à frente. Não é aquele que te dá um abraço quando está tudo bem, tudo lindo, tudo azul.

É difícil perceber que no momento que mais precisamos, as pessoas somem e não são capazes de dizer sequer uma palavra de apoio.

Escrevo isso, por acreditar que certas situações possam servir de exemplo. Hoje, digo: abra os olhos. Não dê o título de amigo à pessoas que não mereçam. É melhor ter um “processo seletivo” rigoroso, antes de adotar uma pessoa como AMIGO.

Agora eu sei, agora eu os conheço...

3 comentários:

Alcides disse...

Flávia,

Nada a declarar, apenas compartilhar."Aproveita o dia"

Beijos!
Alcides

Kêco disse...

O processo tem de ser rigoroso...
e o cão é o melhor amigo do homem ! FATO.
bjo

Thiago Vieira disse...

Flavinha,
Vc tem toda razão.

Me envergonho por não ser o amigo que precisa na hora de mais aperto. Por ter 'carregado' tal título sem nunca ter de fato merecido.

Fica o alerta para que sejamos mais sinceros em nossas relações. E que priorizemos o que de fato importa nessa vida: as pessoas.